Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rancho Folclórico e Etnográfico da Vila de Pias Ferreira do Zêzere

Rancho Folclórico e Etnográfico da Vila de Pias Ferreira do Zêzere

Questionário

Nome dos Fundadores:

Isabel Gomes e Abílio Nunes.

Nome dos actuais directores:

Manuel Rosa e Fernando Jesus

Nome do director técnico ou ensaiador:

Daniel Godinho

Nome de antigos directores técnicos ou ensaiadores:

Isabel Gomes; Odete Penim; Mª da Concenição Penim;

Actuações em Portugal:

          Podemos dizer que desde do início da nossa fundação, tivemos muitas actuações que é difícil de nomeá-las todas. Podemos afirmar que tivemos mais de 91 actuações até ao final de 2002. Referimos a 2 de Junho de 2001 para Ferreira do Alentejo, 3 de Março de 2001 para Casal Sentista – Torres Novas, 21 de Julho para Avô, 4 de Agosto de 2001 em Penafiel, no dia 19 de Julho de 2002 para Santiago da Guarda, 17 de Agosto para o Sardoal, etc.

Actuações no Estrangeiro:

         Nos dias 2 e 3 de Junho de 2001 fomos actuar em Louzane na Suíça para a comunidade portuguesa. Em 2005 fomos actuar à América do norte, no dia das comunidades portuguesas. E em 2007 actuou nos açores, em maia.

 Festivais organizados pelo Grupo:

Todos os anos desde 1998, estivemos sempre um festival por ano. Em 1998 tivemos a participação do Rancho Folclórico “Os Camponeses” de Minjoelho – Tomar, Grupo Coral e Etnográfico “Raízes de Alfundão” – Ferreira do Alentejo, Rancho Folclórico do Pinheiro Grande – Tábua, Rancho Folclórico da Bemposta, Rancho Folclórico da Charneca de Pombal, Rancho Folclórico de Arreciadas de Abrantes e o Rancho Folclórico e Etnográfico da Vila de pias – Ferreira do Zêzere. No ano de 2002 participou, o nosso V, o Rancho Folclórico de Vairão de Vila do Conde, o Rancho Folclórico “Os Ratinhos” de S. Miguel do Rio Torto – Abrantes, Rancho Folclórico de Vilarinho – Amarante, Grupo Folclórico de Aradas – Aveiro e é claro o Rancho anfitrião.

         No ano de 1999, 2000, 2001 com a mudança de direcção não conseguimos encontrar informações, por isso, as nossas desculpas. Actualmente ainda realizamos anualmente o nosso festival.    

 Discos Editados:

Temos um disco editado.

 De quem recebe subsídios:

O nosso Rancho recebe subsídios da Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere, da junta de Freguesia de Pias.

 Quantos componentes têm o grupo:

      A) Directores: 4

      B) Dançadores: 22

      C) Cantadores: 6

      D) Tocadores: 7

      E) Outros acompanhantes: 8

Em que momentos eram executadas as danças e os cantares pelo povo da aldeia ou da região:

 As danças e cantares eram executados nos adros, nas ruas com largos, em casas particulares, e por vezes em lugares de arrumar e eiras.

Como apareceram as músicas e danças no grupo:

          As danças e cantares apareceram no Grupo através de recolhas de vários elementos do nosso Rancho a pessoas mais idosas da nossa freguesia que trabalharam nas quintas da nossa freguesia. Estas dizem que algumas eram cantadas e dançadas nas ceifas e na apanha da azeitona, como o Anda lá para Diante, o Vira dos Malmequeres, o Vira da nossa Terra, São Saias Amor São saias, entre outras; outras eram cantadas e dançadas nas casas Senhorias, uma delas a Quinta dos Olivais como o Anda cá Amor, a Valsa a Quatro, o Fado das Palmas, etc; outras eram dançadas ao som do harmónico como a escovinha e o Fado harmónico; o fandango que era considerada a música típica do Ribatejo, mas aqui era dançada ao desafio, entre rapazes e raparigas; como na nossa freguesia havia muitas quintas, onde muita gente trabalhava, muitas dessas pessoas vieram no Rio Fundeiro em crianças, que é ao pé do Rio, vinha guardar porcos e perus. Foi uma dessas pessoas já velhinha, que nos contou com as lágrimas nos olhos, esta dança é o Fado a Beira do Rio.

  Se ouve recolhas, quem as fez:

         Não houve nenhum elemento que se identifica-se mais, foram elementos que desde o início do Rancho e na sua continuação fizeram às pessoas mais idosas na nossa freguesia Essas pessoas cantaram-nas e explicaram-nos como eram dançadas.

 Possuindo trajes antigos, o local e a época em que eram usados:

         Nós não possuímos nenhum traje antigo, simplesmente nos foi emprestado alguns trajes de quintas abastadas e caso fosse impossível, fotografias. Como é o caso da Quinta do Sr. Baião em que tem tantos trajes, como fotografias e peças de trabalho guardadas religiosamente. As pessoas menos abastadas também nos explicaram mas, por vezes é difícil compreender pois são poucas as pessoas que tem fotografias. 

Nome e numero dos instrumento que compõem a tocada do nosso grupo:

         A tocata no nosso Rancho é composta por três acordeões, um Harmónico, uma Concertina, um Bombo, um reco-reco, uma cana, uma viola e um Ferrinhos.

Tratando-se de instrumentos típicos, onde eram ou são usados, quem os fabrica ou fabricava:

         Em Pias e na Zona de Ferreira do Zêzere, somente os instrumentos mais simples, feitos de cana por exemplo, ou utilizando cortes em madeira, pinhas, castanholas, etc., eram feitos por aqui, por quem tinha mais habilidade, os mais sofisticados eram comprados em casas apropriadas para o efeito.

         Eram e são usados em manifestações culturais, e por vezes individualmente, caso da Concertina e do harmónico.

 Indique se as danças, os cantares, os trajes e os instrumentos utilizados no grupo, correspondem à mesma época ou se foram usados na região em épocas diferentes:

         As danças, os trajes e os instrumentos utilizados no Grupo, situam-se entre os finais da última década do século XIX até à primeira década do século XX, isto sem datas rígidas mas, foi a partir de recolhas desta altura que se chegaram a conclusões quanto as substâncias dos conteúdos das músicas, dos trajes e dos cantares.